arte & cultura

Bebedouros na Itália

No calor ou frio , nada é mais refrescante do que beber água da fonte, fresca e limpa, durante uma caminhada. Em Milão, são mais de 450 os bebedouros espalhados pela cidade, de onde jorra água fresca e potável para humanos e seus amigos de quatro patas domésticos. E os milaneses confiam tanto que existe até mesmo um mapa interativo (www.fontanelle.org) de localização de cada fonte, para aqueles que vão em bicicleta ou caminhando pela cidade.

Primeira fonte de Milão
Mapa das Fontes

O design dessas fontes é de um único autor, o arquiteto Luca Beltrami, que há mais de cem anos projetou os bebedouros da cidade, sendo a primeira fonte localizada na Praça do Teatro Alla Scala, atrás da estátua de Leonardo Da Vinci e única realizada em bronze.  A maioria delas é feita de ferro fundido, medindo 1 metro e meio de altura e cobertas por uma espécie de pequeno chapeú em forma de cone. Nelas, a marca em comum do brasão de armas da cidade de Milão, com a cruz de S. Jorge. O elemento curioso é o cano que faz as vezes de torneira, com a forma de uma cabeça de um animal monstruoso – parece ter sido inspirado nas gárgulas do Duomo. A água escorre continuamente, daí um dos apelidos das fontes ser “VEDOVOLLE” – a viúva que chora sem parar. Um inteligente sistema hídrico permite que a água não se disperda, sendo aproveitada para irrigação dos campos agrícolas adjacentes à cidade.

Fontenelle Roma

Existem lendas sobre o nomes dados a eles,  entre história e suposições. Os nomes mais comuns são “FONTANELLE”, “DRAGO VERDE” e “VEDOVOLLE”. Em outras cidades, os bebedouros têm apelidos populares que refletem, em tom de brincadeira, algumas de suas características. Assim, em Roma, eles são chamados de “NASSONE” e em Turim “TORRETI

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *